sábado, 5 de julho de 2008

Poema sem título

Você não me conhece?

Já tive nomes sábios, nomes loucos;

Já me deram tanto a toa, e tiraram por tão pouco.


Vivia nas graças do ódio, também fui vítima do amor;

Alguns dias perdi a calma; e em outros, o pudor;

Já me trataram como um mendigo, ou como o rei dos reis;


Acho que minhas memórias também são a de vocês

Porquê

Qual é a diferença?


Você ainda não me conhece?


Se quiser saber quem eu sou,

Não pergunte ao analista,

Mas sim a minha mãe.

Porquê a razão serve a quem paga mais,

Enquanto o coração garante quente alento,

Nesse mundo de baratas tontas.


09/08/06 – 05/07/08

2 comentários:

Jérsica disse...

Qual o telefone da sua mãe?

R@pH@&L disse...

kkkkkkkkkkkkkkkk